Maternidade

Cama compartilhada com bebê: afinal, pode ou não pode?

Escrito por Mammybelt

Com a chegada do bebê, uma das dúvidas de muitas mães, e pais também, tem a ver com a cama compartilhada. Especialistas, inclusive, já expressaram opiniões sobre o assunto, citando as vantagens e as desvantagens de o bebê dormir com os pais, mas vale lembrar que essa é uma decisão pessoal.

Ainda não tem certeza se a cama compartilhada com bebê é ou não uma boa opção para você? Então, não pare por aqui. Continue a leitura do post e saiba mais sobre o assunto! 

Vantagens da cama compartilhada

Talvez a principal vantagem da cama compartilhada seja a possibilidade de estreitar o vínculo entre os pais e o bebê, o que é muito bom para todos os envolvidos, não é? A criança, quando está mais próxima da mãe, tende a se sentir mais acolhida e protegida. Também, foram nove meses no ventre materno… Não é fácil para o pequeno se acostumar a todas as novidades do “mundo exterior”.

Além disso, outro ponto muito positivo tem a ver com o estímulo do aleitamento materno, propriamente dito. Convenhamos, é cansativo levantar diversas vezes durante a noite para dar de mamar, principalmente quando você mal consegue ter algumas horas de sono contínuo, não é verdade? Com o pequeno ali do lado, essas mamadas da noite — e da madrugada — acabam sendo menos desgastantes para a mãe.

Desvantagens da cama compartilhada

Uma das principais desvantagens da cama compartilhada são as noites mal dormidas. Pais e, principalmente, mães, provavelmente não vão conseguir descansar de verdade e podem acordar bem indispostos no dia seguinte. Embora seja muito importante que os pais tenham um sono reparador — afinal, cuidar de um bebê requer muita disposição! —, pode-se dizer que, dos “males”, esse é o menor.

Powered by Rock Convert

Outro ponto negativo tem a ver com a segurança do pequeno, em especial nos primeiros meses de vida. É preciso ter muito cuidado para não esbarrar na criança ou passar o braço sobre ela. Em casos extremos, há, até mesmo, risco de sufocamento. Para os pais e as mães que têm sono profundo, é interessante pensar bem a respeito da cama compartilhada. No entanto, hoje existem os co sleepers que ajudam bastante nesta questão. 

E há, também, outro fator que precisa ser levado em consideração: a intimidade do casal. Com a chegada do bebê, momentos a dois podem se tornar raros. Dividir o cantinho que, até então, era só do pai e da mãe pode fazer com que seja ainda mais difícil para os pais passarem um tempo juntos, dizem alguns. Mas nem sempre é assim: na verdade, o bebê, por si só, já demanda muita atenção e tempo por parte do casal. Então, quando ambos estão dispostos, podem aproveitar qualquer cantinho da casa, não é mesmo? Além do mais, é super possível desfrutar da companhia do outro, em momentos simples do dia a dia, como assistindo a um filme na sala ou fazendo um jantar no final de semana.

Mas, e então: cama compartilhada com bebê pode ou não pode? Essa é uma decisão que cabe apenas aos pais. Vale ressaltar que é fundamental ter alguns cuidados, como fazer uso de um colchão grande (caso não faça uso de co sleeper), evitar muitos cobertores e cercar a criança para evitar a mínima possibilidade de virar em cima dela.  Assim, é possível garantir a segurança do pequeno e uma noite de sono tranquila!

 

Depoimento Pessoal: Amo dormir com meus filhos (8 e 5 anos). Agarro mesmo, aproveito porque daqui a pouco eles não vão querer dormir comigo. Final de semana a cama compartilhada está liberada!!!

Agora que você já conhece as vantagens e as desvantagens de compartilhar a cama com bebê, saiba o que fazer quando o bebê não dorme à noite!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This