Maternidade

Crianças com vício em tecnologia, o que fazer?

Escrito por Mammybelt

Vivemos na época em que os recursos tecnológicos estão por toda parte. São tablets, celulares e computadores com fácil acesso à internet. Em meio a esse contexto, muitas famílias deixam as crianças usarem à vontade estes dispositivos. Como resultado do uso desenfreado, surge uma geração com vício em tecnologia. 

Com o objetivo de ajudar você a entender melhor sobre o assunto, preparamos este post. Aqui, explicamos os prejuízos e os benefícios da tecnologia na vida da criança. Também vamos abordar como as mães e pais podem intervir nessa questão. Confira!

Consequências negativas do uso excessivo da tecnologia

Um dos principais problemas referentes ao uso exagerado da tecnologia é o sedentarismo. Com isso, muitas crianças têm ficado obesas por passarem muito tempo sem se movimentar. O ideal é que os pequenos brinquem, gastem energia e interajam com outras pessoas. Além disso, com a distração em frente a tabletes e celulares, muitos deles se alimentam mal, comem mais do que precisam, sem apreciar a refeição e os sabores. 

Junto ao dano causado por ficar muito tempo parado, surgem outras consequências negativas. As mais identificadas são:

  • estresse;
  • agitação;
  • ansiedade;
  • dificuldade no aprendizado;
  • perda de concentração;
  • problemas de convívio social.

Hoje já é sabido que muitas crianças e adolescentes tem distúrbios de ansiedade e depressão em consequência do uso desenfreado de eletrônicos. Eles não sabem esperar por nada, ficam ansiosos aguardando uma resposta no Whatsapp, não socializam e são mais solitários. Na vida adulta tendem a ser pessoas inseguras e com dificuldade na socialização.

Mas, apesar dos sintomas danosos, a boa notícia é que, com a intervenção dos pais, os prejuízos podem ser reparados. Afinal, os eletrônicos podem ser aliados na educação das crianças.

Orientação dos pais no uso da tecnologia dos filhos

O fato é que os filhos só têm acesso aos dispositivos eletrônicos quando os pais os deixam em suas mãos. Afinal, as crianças não têm como adquirir tais produtos sem a permissão de seus responsáveis. Dessa forma, não basta somente limitar o tempo de uso, mas cabe aos adultos serem também exemplos. 

Os filhos aprendem muito melhor por meio de “modelos de comportamento”. Um bom exemplo disso são os próprios pais combinarem a maior parte do tempo em casa sem o uso da internet. É importante que as famílias voltem a se sentar juntos à mesa e a conversar uns com outros, bem como reservem tempo para participar de atividades com as crianças. 

Outro ponto relevante que precisa ser destacado é quanto à segurança ao acessar as redes sociais. Os adolescentes, que têm o próprio smartphone, precisam evitar conversar com estranhos na rede. Além de os pais bloquearem o acesso a conteúdos impróprios e manter uma relação de confiança com os filhos.

Benefícios do uso moderado da tecnologia

A tecnologia, se usada de forma adequada, fornece muitas vantagens para quem a utiliza. Assim acontece no desenvolvimento das crianças. Veja alguns desses benefícios que listamos:

  • amplia as formas de estudar, como pesquisar o assunto da aula em diversos sites e por meio de jogos eletrônicos;
  • ajuda a criança produzir as próprias ideias em vídeos com orientação de seus pais;
  • incentiva a concentração e o raciocínio lógico por meio de aplicativos próprios para o público infantil;
  • estimula o interesse e a curiosidade para buscar novos assuntos.

Como você pôde ver, o uso regulado de dispositivos eletrônicos pode ser favorável na infância. É somente o adulto ter bom senso, dar o exemplo e dispor de tempo para interagir com os filhos. Somente assim o vício em tecnologia deixa de existir, e as crianças passam a brincar e socializar mais. 

Agora que você já viu o que fazer com as crianças com vício em tecnologia, leia também como lidar com os desafios de criar um filho sozinha

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This