Gestação

8 mudanças que ocorrem com os seios na gravidez

mulher grávida de regata branca, calça com detalhes verde, branco e vermelho apalpando os seios
Escrito por Mammybelt

O período de gestação representa uma infinidade de alterações no corpo da mulher. O crescimento da barriga, as dores nas costas e as alterações de humor são apenas alguns exemplos que trazem muito impacto e certo desconforto. Os seios de grávida também trazem várias mudanças próprias desse período.

Essas alterações acontecem de forma bem natural, já que as glândulas mamárias estão sendo preparadas para todo o período de aleitamento materno. Para descobrir quais mudanças são essas e o impacto que elas podem trazer, continue acompanhando este post!

1. Os seios crescem e ficam mais pesados

Basta uma conversa com uma mulher no período final da gestação para descobrir como os seios ficam consideravelmente maiores — podem aumentar cerca de dois números. Isso acontece porque a quantidade de tecido gorduroso cresce, assim como o fluxo de sangue.

Somado a isso, eles ainda podem ficar mais pesados por causa do inchaço típico da gestação. Esse é um resultado da retenção de líquidos, um efeito colateral bem comum devido ao aumento de progesterona e de estrógeno no organismo.

Toda essa movimentação é uma preparação natural do próprio organismo para facilitar o crescimento dos dutos de leite e das glândulas mamárias. Os primeiros indícios de aumento no tamanho começam por volta da sexta semana de gravidez. Por isso, não há motivo para preocupação!

2. Ficam mais sensíveis e podem “formigar”

Sabe aquele desconforto que sentimos nos seios no período pré-menstrual? Pois bem, eles podem ficar um pouco piores e permanentes na gravidez — o que é uma das maiores reclamações entre as mulheres que passam por essa experiência. Aliás, esse é um dos primeiros sintomas da gestação.

Muitas futuras mamães relatam que desconfiaram da gravidez justamente pelo desconforto nos seios, junto à ausência da menstruação. A sensação de formigamento ocorre devido à combinação do sangue extra e do inchaço, que acompanham a mulher por todo o período.

Há, ainda, quem diga que o bico das mamas queimam ou ficam bastante doloridos. Tudo isso se deve às alterações hormonais que estimulam a circulação na área e a expansão das glândulas mamárias. Os sintomas costumam amenizar após o nascimento do bebê.

3. Eles precisam de um suporte mais elaborado

Com o crescimento da barriga e dos seios, todo o seu corpo fica mais pesado, o que pode contribuir para terríveis dores nas costas, muito comuns no último trimestre. Por isso, invista em sutiãs de algodão e deixe os sintéticos de lado — pelo menos por um tempo.

Como eles são mais confortáveis, você sente menos os impactos da dor e, de quebra, ainda garante uma respiração mais eficiente para a pele. Preze, também, pelos modelos que oferecem uma sustentação melhor, como os que têm alças mais largas.

Em relação ao formato dos sutiãs, evite os do tipo meia-taça e os que têm aqueles ferrinhos embaixo do bojo. Como os seios já estão mais sensíveis e doloridos, essas peças podem causar bastante desconforto.

4. As veias ficam mais visíveis

A estética dos seios pode não ser das melhores durante a gravidez. O desenvolvimento da gestação fará com que as veias fiquem com um perfil azulado e bem mais visíveis, como resultado da dilatação dos vasos pelo fluxo sanguíneo extra.

Aliás, você sabia que o aumento do volume de sangue no corpo da mulher pode variar de 35% a 50% durante a gravidez? Essa é uma estratégia do organismo materno para melhorar o transporte de oxigênio para o bebê, além de minimizar os efeitos da perda de sangue durante o parto.

A quantidade excedente costuma alcançar seu máximo por volta da 32ª semana. Então, é normal que, a partir do oitavo mês da gestação, seus seios estejam com as veias mais aparentes do que nunca!

5. Eles passam a produzir óleo

Bem, você já sabe que os seios ficam maiores e mais definidos nesse período. Mas aí vai uma novidade: as glândulas de Montgomery também costumam crescer e produzir óleos — tudo com o objetivo de proteger os mamilos e aréolas da chance de rachar ou secar.

Esse nome complicado se refere àquelas bolinhas que ficam ao redor da aréola. Provavelmente, você nunca nem notou a presença delas, porque costumam ser muito discretas. No entanto, na gravidez elas ficam bem mais protuberantes.

Essa produção de óleo não atrapalha em nada o seu dia a dia e é possível que passe despercebida, já que a quantidade é apenas suficiente para manter a pele dos mamilos mais hidratada. Ah, nunca aperte as glândulas, pois elas podem ficar bastante doloridas!

6. Eles coçam e as temíveis estrias podem aparecer

Além disso, as indesejáveis estrias podem começar a dar o ar da graça nesse período. Todo esse crescimento no tamanho dos seios faz com que a pele da região seja esticada — o que é um prato cheio para o aparecimento delas.

Junto a isso, é comum que você sinta muita coceira, mas ao contrário do que a sabedoria popular costuma pregar, coçar os seios não ocasiona estrias. Na verdade, esse incômodo é um indicativo de que a pele já está lesionada, ou seja, coçando ou não, provavelmente as marcas aparecerão.

Para evitá-las, a melhor estratégia é manter a pele profundamente hidratada, especialmente depois do banho e na hora de dormir. Assim, as chances de haver os rompimentos nos tecidos que geram as estrias diminuem bastante.

7. Os mamilos escurecem e ficam maiores

Para facilitar a amamentação, o mamilo também fica mais largo e escuro. Essa situação é reflexo das altas taxas de estrógeno no corpo — responsáveis, também, pelo aparecimento da línea nigra, aquela linha vertical mais escura que corta a barriga da grávida.

A hiperpigmentação nos bicos das mamas é um sinal conclusivo da gravidez. É comum que se tornem marrons escuros logo no início do período gestacional. Aliás, as aréolas também ficam mais marcadas e podem ser ampliadas, com o aparecimento de uma zona um pouco mais clara, conhecida como aréola secundária.

Sabe por que isso acontece? O organismo materno passa por uma intensa preparação para a amamentação. Como os recém-nascidos não têm uma visão muito desenvolvida, o corpo da mãe faz questão de deixar os mamilos maiores e mais escuros, como se fossem um alvo para o bebê.

8. Podem ocorrer vazamentos de colostro

Mais próximo do terceiro trimestre, você pode perceber um líquido que começa a sair do mamilo. Esse é o colostro, um leite inicial para os primeiros dias depois do parto. Isso acontece porque, desde o começo da gestação, o corpo começa a gerar prolactina, o hormônio que estimula a produção de leite.

Algumas mulheres acordam inundadas de colostro ou percebem o aumento dos vazamentos durante o banho, já que a água quente estimula o trabalho das glândulas mamárias. Outras não notam nada até o nascimento do bebê. Cada corpo reage de forma diferente a esse processo, então, fique tranquila!

Meus seios, por exemplo, só aumentaram mesmo depois do nascimento do bebê e não tive nenhum vazamento durante a gravidez. Parece até que meu corpo virou uma chave durante o parto porque todas as mudanças foram de uma hora para a outra. Ah, eu amamentei sem grandes problemas!

Depois de entender um pouco melhor quais são as principais transformações típicas dos seios de grávida, é preciso que você esteja preparada para as alterações. Para facilitar ainda mais o processo, aproveite o período para investir em sutiãs confortáveis e roupas para amamentação.

Você já reparou algumas das mudanças que citamos aqui? Compartilhe sua experiência nos comentários e ajude outras gestantes também!

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This