Maternidade

O que é e como desenvolver o empreendedorismo materno?

Escrito por Mammybelt

O mercado de trabalho tem passado por muitas transformações e os profissionais precisam se adaptar aos novos tempos. Hoje há profissões super valorizadas que não existiam há pouco tempo atrás. Por outro lado, atividades antes em alta caíram em desuso. Aliado a isto, a situação econômica do país fez com que muitas pessoas fossem demitidas e quem ficou trabalha por 2 e ainda agradece por isto.

Assim, é preciso se adaptar ao mercado de trabalho exigente e competitivo. Ocorre que, depois que uma mulher vira mãe, a situação se complica um pouco. Lógico que há aquelas que amam o mundo corporativo, o dia a dia corrido. Aquela loucura as mantêm “vivas”, está no sangue. Outras seguem o fluxo e continuam na sua profissão, sempre se equilibrando para poder dar conta de tudo. Há ainda mulheres que optam por parar de trabalhar (quando a situação financeira permite, lógico) e participar mais ativamente na educação dos filhos. No entanto, há mulheres que depois da maternidade começam a buscar uma ocupação diferente. Uma ocupação que lhes permita estar mais próximas dos filhos, sem deixar de fazer parte do mercado de trabalho. Daí, muitas vezes, surge o empreendorismo materno.

Para saber mais sobre o assunto, preparamos este post. Aqui, vamos trazer mais informações sobre mães que empreendem. Confira!

O que é empreendedorismo materno?

Quando uma mulher se torna mãe, a vida muda e muito!!! Com sua nova experiência e responsabilidade, ela muitas vezes passa a questionar se o tipo de vida que vinha levando (trabalho em empresa, com horários rígidos, horas extras, viagens, chefe, etc) ainda se sustenta ou vale a pena. O empreendedorismo materno nasce daí. A ideia é trabalhar muito, mas com flexibilidade de horário para estar mais próxima dos filhos.

Com essa transformação, surge um novo tipo de negócio: ser empreendedora. Muitas têm suas inspirações com a própria maternidade e as necessidades daí decorrentes. Outras aproveitam para colocar em prática uma ideia antiga, que já vinham namorando, mas não tinham coragem para executar. 

Como desenvolver esse tipo de empreendedorismo?

Primeiro de tudo, é preciso saber para que tipo de negócio você tem vocação. De nada adianta querer entrar em um empreendimento de beleza, por exemplo, simplesmente porque gosta do assunto. É preciso conhecer muito bem o tema antes de empreender. Ter foco, estudar a fundo todas as questões relacionadas ao negócio especificamente, bem como aquelas pertinentes a qualquer negócio, como questões fiscais, trabalhistas, fluxo de caixa, etc., são alguns dos requisitos para o sucesso. Como dizem: para começar qualquer negócio é preciso esperar o melhor, mas sempre estar preparada para o pior. 

Além disso, é importante ter consciência de que o mercado está cada vez mais exigente e por este motivo, você vai precisar oferecer um diferencial, um quê a mais para se destacar. E não se iluda, não obstante tenha um horário flexível, eventualmente trabalhe de casa, a disciplina é fator fundamental, assim como sua presença na condução das atividades da sua empresa. É importante também estar ciente das dificuldades em ser empreendedora. Por ex., como empregada de uma empresa você tem certas garantias: férias + 1/3, 13º salário, etc. Como empreendedora, cada mês é um mês e os riscos são todos seus.

A grande vantagem é trabalhar com algo que você escolheu, de forma leve, com amor e de quebra estar presente com mais facilidade no dia a dia do seu filho. Tudo que tem amor flui mais facilmente. Sem falar na saúde: trabalhar com o que você gosta, faz bem para a alma. 

 

Exemplos de empreendedorismos maternos de sucesso

Abaixo, separamos alguns exemplos de negócios criados por mulheres empreendedoras. São empresas que, hoje em dia, colhem o fruto do trabalho árduo de suas idealizadoras.

Free Soul

A partir da restrição alimentar da filha, a mãe Janete da Costa teve a ideia de abrir um restaurante. Foi então que o Free Soul, restaurante vegano e vegetariano em São Paulo, passou a funcionar. Assim, Janete e sua filha Maíra da Costa, já adulta, são sócias do empreendimento alimentar.

Casa sem Glúten

O que começou apenas com receitas sem glúten feitas por Paula Belber virou um empreendimento. Os quitutes eram testados para o filho, por ter intolerância a alguns ingredientes. O sucesso cresceu aos poucos com vendas pelo Instagram. Foram muitas encomendas de panetones, salgados e bolos. 

Descobrir Brincando

Já a dentista Ana Maria Bastos resolveu investir em negócios para o público infantil. Após se tornar mãe, viu a necessidade de lidar com a interação de adultos com as crianças. Para isso, criou, junto com Armando Lowndes, a Descobrir Brincando. No empreendimento, são realizadas oficinas, cursos de capacitação e rodas de conversas. 

 

Mamahoodstore

Marca criada por Priscila Josefick depois da maternidade. Ela vende camisetas e alguns acessórios com frases sobre a maternidade, empoderamento materno e feminismo. A fundadora da marca fala bastante no instagram do seu cotidiano como mãe e empreendedora. 

 

Mammybelt – depoimento pessoal

A Mammybelt surgiu das minhas necessidades durante a minha gestação. Eu sou advogada e depois do nascimento do meu 2º filho optei por me dedicar de forma integral à Mammybelt e foi a decisão mais acertada da vida!!! Amo o que faço. Não existe aquela tristezinha de domingo a noite e tenho certa flexibilidade para estar presente no dia a dia dos meus filhos. Mammybelt para mim é VIDA!!! Um privilégio que reconheço e agradeço todos os dias. Meu dia a dia é saudável. Se seguisse como advogada, acho que enfartaria cedinho. 

 

Por fim, pode-se dizer que o empreendedorismo materno é formado por mulheres realizadas que, além de se dedicarem aos filhos, investem na carreira. São batalhadoras e, acima de tudo, fazem o que gostam e têm independência financeira. 

Agora que você já viu como dar vida a aquela vontade de empreender, nos diga qual a sua ideia, o que pensa do assunto. Queremos muito saber sua opinião!

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This