Gestação

Parto cesárea: entenda 4 pontos importantes sobre o assunto!

Escrito por Mammybelt

Seja nas redes sociais, seja em um papo com as amigas, o parto cesárea e o normal sempre acabam virando assunto ou discussões acaloradas. Não é para menos.

Por muito tempo, as cesarianas eram enaltecidas com a justificativa de que davam mais controle da situação aos médicos, enquanto algumas parturientes se agarravam à crença de que elas eram melhores para seus filhos.

Um processo de conscientização, ainda que demorado, tem mudado essas opiniões e, em alguns casos, levado ao entendimento de que a cesárea é a grande vilã da história.

Mais uma vez, não é para tanto. A verdade é que, em alguns casos, ela é essencial. Então, para dar à luz ao entendimento, com o perdão do trocadilho, tiraremos algumas dúvidas importantes neste post. Confira.

1. Situações em que o parto cesárea é mais recomendado

A cesárea pode ser o caminho mais adequado para o parto quando o corpo não tem as reações esperadas, como a dilatação e a contração, no momento do nascimento.

Ele também é o mais indicado nas situações em que o líquido amniótico está baixo, o bebê não está encaixado corretamente, o cordão umbilical está enroscado no pescoço dele, ou diante de qualquer outra iminência de sofrimento fetal.

O pré-natal, os cursos de orientação, as doulas e todas as demais preparações podem levar ao parto normal, mas, se não houver possibilidade de levá-lo adiante na hora do nascimento, é preciso colocar a vida do bebê e da mãe em primeiro lugar.

Experiência pessoal: meu filho ficou na posição transversa, não encaixou. Então, fizemos cesárea. Ele nasceu todo amassadinho!!! 

2. Sentimentos e sensações vividas na preparação do parto cesárea

Algumas mães declaram o desejo de realizar o parto cesárea por medo das dores que ocorrem durante o parto normal , muitas vezes em virtude das histórias conhecidas que as deixam inseguras.

Porém, é preciso lembrar que a cesárea é uma cirurgia de porte considerável. Ou seja, preparar-se para ela também gera receios, como o medo em relação à anestesia e ao andamento do procedimento. Mulheres que tiveram gestação de risco podem ter sensações de tensão e alívio.

Por outro lado, há mulheres que sonham com o parto normal e quando ele não ocorre, se sentem péssimas. Estas mulheres, muitas vezes, se frustram por terem que passar por uma cesárea.

Como tudo na vida, o meio termo é melhor. Em primeiro lugar, fundamental conversar com o obstetra, buscar informações para decidir o melhor para a mãe e bebê. Há a possibilidade de sedação no parto normal, por ex. Enfim, ninguém melhor que seu médico para te auxiliar nesta escolha. 

 

3. Recuperação e o que acontece no pós-parto

A recuperação no pós-parto de uma cesárea normalmente é mais demorada e dolorida do que a de um parto normal, mas claro, existem exceções.

Algumas dores locais, inchaço e gases são comuns nos primeiros dias. Um repouso moderado com limitação de atividades físicas até o terceiro mês após o parto também pode ser recomendado.

Normalmente a recuperação do parto normal é mais tranquila, mas pode haver alguma intercorrência aí, como por ex. : laceração no períneo no momento do parto, que pode ou não necessitar de pontos, incontinência urinária temporária, necessidade de episiotomia (uma exceção). 

Enfim, cada tipo de parto tem seus prós e contras, não obstante hoje se saiba que o parto normal é melhor para o bebê (considerando uma gravidez tranquila sem maiores questões). 

4. Interferência na amamentação

Durante o parto normal, o corpo da mulher libera a ocitocina para ajudar no processo de expulsão do bebê. Esse hormônio também ajuda a ativar a produção do leite.

Com as novas diretrizes para os partos humanizados, o peito da mãe é oferecido ao bebê desde os primeiros minutos de vida, o que também provoca o estímulo da descida do leite. Pode demorar mais, mas ele vem.

Ou seja, enquanto ela se recupera da anestesia, recebe o estímulo para a produção de leite por meio da sucção do peito feita pelo bebê.

É preciso entender que o parto cesárea, quando bem aplicado, pode salvar as vidas preciosas da família que está se formando.

Opinião pessoal: Conforme mencionado acima, hoje é sabido que o parto normal é o ideal, MAS é o ideal para uma situação também ideal. Ou seja, desde que mamãe e bebê estejam bem e haja indicação médica para isto. Por outro lado, parto normal não é aquele em que a gestante fica sofrendo por horas e mais horas para ao final decidir pela cesárea, se sentindo uma fracassada. 

Realizar cesárea não é sinônimo de fracasso, fragilidade ou egoísmo. Muitas vezes a mãe não se sente bem, confortável em situações que envolvem médicos, hospitais e afins e isto deve ser respeitado. O dia de conhecer seu bebê, seu sol, tem que ser de paz e não de agonia. 

Sem preconceitos ou rigidez, essa é a maneira ideal de levar a maternidade desde o seu início. Você também pensa assim? Mande sua opinião para nós.

Não deixe de assinar a nossa newsletter e acompanhar outros conteúdos como este.

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This