Gestação

Saiba quando o sangramento durante a gravidez é normal ou não

Escrito por Mammybelt

Um dos maiores temores das mulheres durante qualquer momento da gestação é ter um sangramento durante a gravidez, afinal de contas, foge das situações esperadas para esse período, não é mesmo?

Se você está vivendo uma situação assim ou conhece alguém que esteja, o primeiro passo é acalmar o coração e saber que, em alguns casos, o sangramento pode acontecer, sim, e sem o comprometimento da saúde da mãe ou do bebê.

Pronto. Agora, com mais calma, vamos conversar por este post sobre as situações que isso pode acontecer?

Sangramento durante a gravidez no primeiro trimestre

Alguns episódios de sangramento costumam acontecer no primeiro trimestre. A implantação do embrião fecundado na parede do útero nas primeiras semanas de gestação, por exemplo, pode ocasionar um sangramento de dois a três dias, de forma bem leve — o que é considerado normal, já que o fluxo de sangue não é intenso. É chamado de nidação, e, muitas vezes, a mulher ainda nem sabe que está grávida.

Contudo, o descolamento do saco gestacional (outro fator que causa sangramentos) inspira mais cuidados e repouso, pois é preciso que ele se fixe novamente para que o restante da gravidez transcorra de forma tranquila. O sangue que normalmente é liberado é mais escuro, como borra de café e pode durar alguns dias, sem cólicas.

No entanto, o índice de sangramento abortivo no primeiro trimestre é considerado elevado em relação ao restante da gravidez, e é por esse motivo, inclusive, que as grávidas recebem recomendações para iniciar o enxoval e preparativos de eventos depois desses três primeiros meses determinantes. 

Sangramento no segundo trimestre da gestação

Os tipos de sangramentos costumam sumir no segundo trimestre. Entre as situações que podem ocorrer, no entanto, está a placenta prévia, que é quando ela se fixa no lugar errado do útero.

Seu nome é grande, Descolamento Prematuro da Placenta Normalmente Inserida (DPPNI), e pode ocorrer com 20 semanas ou mais de gestação. Algumas condições são consideradas fatores de risco, como: hipertensão, idade avançada da mãe e tabagismo, entre outros.

Com o deslocamento, a troca de gases e nutrientes entre a mamãe e o bebê é seriamente comprometido. Nesse caso, o sangramento costuma ser mais intenso e na cor vermelho vivo. É muito importante que seja diagnosticado rapidamente.

Um detalhe importante é que o DPPNI também pode acontecer sem sangramento significativo. Por isso, a regularidade no acompanhamento pré-natal e a manutenção de uma vida saudável é essencial.

A ruptura uterina também pode acontecer no segundo semestre, mas ela só ocorre se uma cesárea de gestação anterior se romper, necessitando a intervenção médica urgente.

Outras situações que podem causar sangramento nesse e nos demais períodos são:

  • reprodução assistida, principalmente a fertilização in vitro, quando um dos embriões não se torna um feto;
  • realização do ultrassom transvaginal ou exame de toque, que causam o aumento da circulação sanguínea no colo do útero e vagina;
  • existência de miomas e pólipos benignos — caso a placenta se fixe próximo a essas protuberâncias, pode haver pequenos sangramentos durante toda a gestação.

Sangramento no trimestre final

Na reta final da gestação, o medo de algo mais grave acontecer é ainda maior. Logo, as condições e doenças preexistentes podem gerar situações que inspiram cuidados. Por isso, a vigilância deve ser intensa.

É o caso, por exemplo, do descolamento prematuro da placenta, mais comum após o sétimo mês e em mulheres com pressão mais alta. Além do sangramento com cor avermelhada, cólicas e contrações também são comuns de acontecer. Por fim, o sangramento pode vir acompanhado do próprio nascimento do bebê, quando ele já estiver a termo.

Sangramentos se fazem presentes a qualquer momento da gravidez depois de relações sexuais. Por isso, é preciso consultar o médico sobre a manutenção da vida sexual. No caso da suspensão, outras formas de amor devem entrar na rotina do casal!

Mesmo que você identifique uma situação similar com algum sangramento durante a gravidez relatado neste post, é essencial procurar o especialista que está acompanhando a gestação.

Aliás, todo sintoma ou sensação devem ser reportados ao médico durante o pré-natal, inclusive aquelas dores nas costas que muitas gestantes reclamam. Quer saber como descrevê-las da forma certa? Então leia aqui para saber mais sobre elas!

Sobre o autor

Mammybelt

Deixar comentário.

Share This